Textos


                       Muros
 
Vejo o barulho d’um silêncio tenebroso
irradiando dor, desespero, dúvida.
Rajadas de ventos soam em nossa vida
provocando frio, temor; caminho escabroso.
  
Arroubos de arrogância bruta, saboroso
licor amargo; filho de uma órfã grávida
estéril: de amor, de luz, de harmonia, da lida
gloriosa, generosa. Festim doloroso.
  
Surgem na escuridão radiante existências
corrompidas; vistas pela leviandade,
pela maledicência, como excelências.
  
Paredões são erguidos: pintados com escuros
claros de cores tristes, toscas, uma vaidade
poderosa; onde as divisões são longos muros.
CHAGAS FERREIRA
Enviado por CHAGAS FERREIRA em 10/09/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários